Entre em Contato

estudo.certeiro@mail.com

São Paulo - Brasil

  • Facebook Long Shadow
  • Twitter Long Shadow

Concurso TJ SC 2018 – Inscrições abertas – Nível médio e superior

24.04.2018

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina abriu as inscrições para seu novo Concurso Público TJ SC 2018. Foi publicado em seu edital uma quantidade de 26 vagas imediatas para diversos cargos de nível médio e superior. Haverá também formação de cadastro reserva. A banca organizadora responsável pelo certame será a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

Cargos do Concurso do TJ SC 2018

De acordo com o edital de concurso TJ-SC 2018, as vagas serão destinadas aos seguintes cargos:

 

  • Analista Administrativo (CR);

  • Analista Jurídico (CR);

  • Engenheiro Civil (CR);

  • Oficial de Justiça e Avaliador (05 + CR);

  • Oficial da Infância e Juventude (01 + CR);

  • Arquiteto (01);

  • Engenheiro Eletricista (01);

  • Enfermeiro (01); e

  • Técnico Judiciário Auxiliar (17 + CR). 

 

Para todos os cargos o concurso será realizado em etapa única, com prova objetiva de múltipla escolha, de caráter eliminatório e classificatório. O salário é de R$ 6.156,63 para os cargos de ensino superior e R$ 3.576,54 para nível médio.

 

 

Lotação das vagas do Concurso do TJ SC 2018

Os cargos destinados às vagas terão lotação para as seguintes cidades:

 

Analista Administrativo: Capital (CR), Criciúma (CR), Lages (CR), Joinville (CR), Blumenau (CR), Itajaí (CR), São Bento do Sul (CR), Chapecó (CR) e Joaçaba (CR);

 

Analista Jurídico: Capital (CR), Criciúma (CR), Lages (CR), Joinville (CR), Blumenau (CR), Itajaí (CR), São Bento do Sul (CR), Chapecó (CR), Joaçaba (CR) e Secretaria do Tribunal de Justiça;

 

Oficial de Justiça Avaliador: Palhoça (CR), Criciúma (CR), Otacílio Costa (01), Joinville (CR), Blumenau (CR), Itajaí (CR), Canoinhas (01), Mafra (01), Porto União (01), Chapecó (CR) e Lebon Regis (01);

 

Oficial da Infância e Juventude: Capital (CR), Criciúma (CR), Lages (CR), Joinville (CR), Blumenau (CR), Itajaí (CR), São Bento do Sul (CR), Chapecó (CR) e Lebon Régis (01);

 

Arquiteto: Secretaria do Tribunal de Justiça (01);

 

Engenheiro Eletricista: Secretaria do Tribunal de Justiça (01);

 

Engenheiro Civil: Secretaria do Tribunal de Justiça (CR);

 

Enfermeiro: Secretaria do Tribunal de Justiça (01).

 

Técnico Judiciário Auxiliar: Anita Garibaldi (01), Bom Retiro (CR), Curitibanos (01), Lages (CR), Otacílio Costa (01), São Joaquim (01), Araquari (CR), Guaramirim (CR), Itapoá (01), Jaraguá do Sul (CR), Joinville (CR), São Francisco do Sul (CR), Ascurra (CR), Blumenau (CR), Ituporanga (CR), Rio do Oeste (CR), Rio do Oeste (CR), Rio do Campo (01), Trombudo Central (01), Balneário Camboriú (CR), Camboriú (01), Itajaí (CR), Itapema (CR), São João Batista (01), Tijucas (01), Canoinhas (01), Itaiópolis (CR), Mafra (CR), Porto União (CR), Rio Negrinho (CR), São Bento do Sul (01), Capinzal (01), Catanduvas (01), Herval d’Oeste (01), Joaçaba (01), Lebon Régis (01), Videira (CR) e Secretaria do Tribunal de Justiça (CR).

 

 

Inscrições para o Concurso do TJ SC 2018

As inscrições do concurso do TJ SC 2018 serão realizadas entre 14 horas do dia 23 de abril e 16 horas do dia 05 de junho de 2018, no endereço eletrônico oficial da organizadora do concurso (www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/tjsc2018). A taxa de inscrição custará R$85,00 para nível superior e R$68,00 para nível médio.

 

 

Provas Concurso TJ SC 2018

As provas serão realizadas no estado de Santa Catarina, nas cidades de Florianópolis, Criciúma, Lages, Joinville, Blumenau, Itajaí, Canoinhas, Chapecó e Joaçaba.

 

A aplicação da Prova Escrita Objetiva para o cargo de Nível Médio, Técnico Judiciário Auxiliar, está prevista para o dia 22 de julho de 2018, com duração de 4 (quatro) horas, das 8h às 12h, segundo o horário oficial de Brasília/DF, em município definido pelo candidato no ato da inscrição.

 

A aplicação da Prova Escrita Objetiva para os cargos de Nível Superior está prevista para o dia 22 de julho de 2018, com duração de 4 (quatro) horas, das 14h30 às 18h30, segundo o horário oficial de Brasília/DF, em município definido pelo candidato no ato da inscrição.

Para todos os cargos, a Prova Escrita Objetiva será composta por 70 (setenta) questões de múltipla escolha, numeradas sequencialmente, com 05 (cinco) alternativas e apenas uma resposta correta, e versará sobre assuntos do Conteúdo Programático.

Cada questão de múltipla escolha valerá 1 ponto, sendo 70 (setenta) pontos a pontuação máxima obtida na Prova Escrita Objetiva.

 

 

Material para estudos para o Concurso do TJ SC 2018

Os concursos dos Tribunais de Justiça costumam atrair muitos candidatos devido aos altos salários oferecidos. Também, há um histórico de muitas convocações durante a duração dos certames. Esses fatores aumentam o número de candidatos competindo pelas vagas.

 

Eu sempre digo para as pessoas que procurem um bom material, de alta qualidade e altas taxas de aprovação. Por isso eu sempre acabo recomendado os Cursos do Estratégia Concursos.

 

No Estratégia Concursos você irá encontrar todas as disciplinas exigidas no Concurso do TJ SC, você poderá fechar o Pacote Completo ou apenas as disciplinas que acha que está precisando estudar mais.

 

 

Bons estudos!

Resumo dos Cargos do Concurso do TJ SC 2018

 

Analista Administrativo

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas ou Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

 

Atribuições: Atividades de planejamento, organização, coordenação, supervisão técnica, estudo, pesquisa, elaboração de laudos, pareceres ou informações e execução de tarefas de elevado grau de complexidade, relativas às áreas da Administração, Economia, Contabilidade e Direito, a fim de fornecer suporte administrativo aos órgãos do Tribunal de Justiça e da Justiça de Primeiro Grau relacionado a recursos humanos, material e patrimônio, licitações e contratos, orçamento e finanças, controle interno e auditoria, segurança e transporte, bem como outras atividades complementares de apoio administrativo. Atuar como conciliador ou mediador, por designação da autoridade judiciária a que estiver subordinado.

 

 

Analista Jurídico

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

 

Atribuições: Atividades de planejamento, organização, coordenação, supervisão técnica, estudo, pesquisa, elaboração de laudos, pareceres ou informações, e execução de tarefas de elevado grau de complexidade, a fim de fornecer suporte jurídico-administrativo aos órgãos do Tribunal de Justiça e da Justiça de Primeiro Grau. Atuar como conciliador ou mediador, por designação da autoridade judiciária a que estiver subordinado.

 

 

Oficial de Justiça e Avaliador

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

 

Atribuições: Atividades externas de cumprimento de mandados judiciais, na forma estabelecida pela legislação processual; fazer pessoalmente citações, prisões, penhoras arrestos, sequestros, e demais diligências próprias do ofício; efetuar avaliações; lavrar autos e as certidões respectivas, e dar contrafé; certificar quando desconhecido ou incerto o citando, ou ignorado, incerto ou inacessível o lugar em que se encontre; convocar pessoas idôneas que testemunhem atos de seu ofício, nos casos exigidos por lei; efetuar as intimações, na forma e nos casos previstos na lei; devolver a cartório, após comunicar ao distribuidor, para a baixa respectiva, os mandados de cujo cumprimento tenha sido incumbido, até o dia seguinte em que findar o prazo marcado na lei processual para execução da diligência, ou quando houver audiência, até, se for o caso, quarenta e oito (48) horas antes de sua realização; comparecer a juízo, diariamente, e aí permanecer durante o expediente do foro, salvo quando em diligência; auxiliar o porteiro na manutenção da ordem, disciplina e fiscalização do foro; servir nas correições; entregar, incontinenti, a quem de direito, as importâncias e bens recebidos em cumprimento de ordem judicial; executar as ordens do juiz; exercer as funções de porteiro de auditórios onde não houver privativo; estar presente às audiências e coadjuvar o juiz na manutenção da ordem, entre outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

 

 

Oficial da Infância e Juventude

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Direito, Sociologia, Serviço Social, Pedagogia, Psicologia, Letras, Economia, Administração, Filosofia, Ciência Política, Biblioteconomia, História ou Geografia, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

 

Atribuições: Atividades relacionadas com a proteção da criança e do adolescente; fiscalizar o cumprimento de portaria ou alvará judicial que discipline a entrada e permanência de criança ou adolescente aos locais de diversão, ou sua participação no espetáculo; fiscalizar as entidades governamentais e não governamentais, referidas no art. 90 do Estatuto da Criança e do Adolescente, provendo subsídio por escrito à autoridade judiciária; fiscalizar a ocorrência de infração administrativa descrita no Estatuto da Criança e do Adolescente e legislações esparsas atinentes à infância e juventude; lavrar auto de infração administrativa às normas de proteção à criança e adolescente; apreender material audiovisual, jornais, revistas e outras publicações, comercializadas em desacordo com leis federais, estaduais e municipais de proteção à infância e à adolescência; proceder a atos de internação, averiguação, encaminhamento à cidade de origem e abrigamento de competência da Justiça da Infância e da Juventude, afeto às crianças e aos adolescentes, nos casos de medidas de proteção e sócioeducativas; fornecer subsídios por escrito, mediante termos ou relatórios, ou verbalmente na audiência, e bem assim desenvolver trabalhos de aconselhamento, orientação, encaminhamento e prevenção, tudo sob a subordinação da autoridade judiciária, assegurada a livre manifestação do ponto de vista técnico; manter cadastro atualizado de desaparecimento de crianças e adolescentes e comunicar imediatamente o fato à autoridade judiciária, ao Conselho Tutelar, Polícias Civis, Militares e Rodoviárias, portos, aeroportos e companhias de transportes estaduais e internacionais, fornecendo-lhes todos os dados necessários à identificação do desaparecido; redigir a autorização judicial de viagem de criança ou adolescente com observância aos preceitos legais de regência; representar à autoridade judiciária quaisquer ameaças ou violações dos direitos de crianças ou adolescentes; cumprir mandados de citação, intimação, condução, busca e apreensão e todos os demais mandados judiciais afetos ao juizado da infância e juventude; praticar por ordem do juiz da Infância e Juventude, em colaboração com os responsáveis pelo serviço social forense, todos os atos necessários à realização dos estudos de casos e outras atividades na área específica da infância e juventude; poder desenvolver trabalhos de cunho educativo e preventivo, junto à sociedade, no sentido de divulgar as normas de proteção à criança e ao adolescente; cumprir outras determinações do juiz da infância e juventude.

 

 

Arquiteto

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Arquitetura e Urbanismo, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC, com registro no respectivo órgão fiscalizador do exercício profissional.

 

Atribuições: Atividades relacionadas a planejamento, organização, elaboração e execução de projetos arquitetônicos de edificações do Poder Judiciário.

 

 

Engenheiro Civil

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Engenharia Civil, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC, com registro no respectivo órgão fiscalizador do exercício profissional.

 

Atribuições: Atividades relacionadas a trabalhos técnicos, visando ao planejamento, à organização e ao controle de serviços de elaboração de projetos, fiscalização e vistorias de obras do Poder Judiciário.

 

 

Engenheiro Eletricista

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Engenharia Elétrica, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC, com registro no respectivo órgão fiscalizador do exercício profissional.

 

Atribuições: Atividades relacionadas a trabalhos técnicos, visando ao planejamento, à organização e ao controle na elaboração de projetos de instalações elétricas, telefônicas, de informática e de outras áreas afins, bem como fiscalização e vistorias das instalações.

 

 

Enfermeiro

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Enfermagem, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC, com registro no respectivo órgão fiscalizador do exercício profissional.

 

Atribuições: Atividades relacionadas a trabalhos técnicos de organização e de direção dos serviços de enfermagem da área médica.

 

 

Técnico Judiciário Auxiliar

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível médio completo, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo MEC.

 

Atribuições: Atividades relacionadas a serviços de organização, execução e controle de serviços técnico administrativos. Atuar como conciliador ou mediador, por designação da autoridade judiciária a que estiver subordinado.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Concurso PRF 2020 – Mais de 4 mil vagas solicitadas

Concurso da Policia Militar da Bahia – Edital Publicado com 1250 Vagas para Soldado

Concurso TJ RJ 2019 – Edital Próximo de ser Publicado

1/3
Please reload